segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

{RESENHA} Os Heróis do Olimpo: O Herói Perdido - Rick Riordan

O Herói Perdido é o primeiro volume da série Os Heróis do Olimpo. Essa é a segunda saga cujo Rick Riordan narra as novas aventuras de Percy Jackson e seus amigos. Dessa vez o autor inclui outros meios-sangues tão importantes quanto Percy, alguns deles são os semi-deuses escolhidos para cumprir a recente Grande Profecia.

Ao contrário da última saga, os livros dessa série não contam com capítulos definidos por um título (geralmente sarcástico), mas sim com o nome do herói que narra aquela parte. Agora, a história não é mais contada só por Percy Jackson.


Clique aqui para ver O Filho de Netuno.

Annabeth recebe um aviso: as respostas para o desaparecimento do namorado, Percy Jackson, estão com três meios-sangues que devem ser levados ao acampamento.

Clique aqui para ver A Marca de Atena.

Foto: Lu Garcia

Jason - Acorda dentro de um ônibus de excursão, lotado de alunos, ao lado de uma garota bonita que diz ser a sua namorada e de um menino travesso que faz piada de tudo. Ele não lembra daquele lugar nem daquelas pessoas, ele não lembra quem é e nem de onde veio. Mas ao ser atacado pelos venti, espíritos da tempestade, luta com eles como se já tivesse experiência, inclusive ele tem uma moeda que se transforma em espada.  Uma menina loira aparece e diz que precisa levá-los até o Acampamento Meio-Sangue. Jason tem uma tatuagem na parte interna do antebraço que consiste em linhas retas, como códigos de barra, e no alto uma águia seguida das letras SPQR. Parece que Jason já fora reclamado por seu pai divino... mas como ele conseguiu sobreviver todos aqueles anos sozinho? Sem a proteção e o treinamento do acampamento? E o que significam aquelas letras? Como sabe falar Latim fluentemente? Como ele conhece a Profecia dos 7? E qual a sua relação com Thalia Grace? O fato é que ele não se sente a vontade nesse acampamento, sente-se como se estivesse em território inimigo, como se fosse ser atacado pelos campistas a qualquer momento...

Clique aqui para ver A Casa de Hades.

Piper - Está muito chateada. Ela não entende porque, de uma hora para outra, o namorado insiste em dizer que não a reconhece. O sumiço do seu pai, um astro de cinema, e os pesadelos em que ele aparece capturado não ajudam para que ela se sinta melhor. Nesses sonhos, Piper é chantageada: ela deve colaborar e trair seus amigos em troca da vida de seu pai. Ela, o namorado e o melhor amigo são atacados, ela fica impressionada com a habilidade de Jason durante a luta. Parece até que ele já é acostumado a fazer aquilo. No caminho para o acampamento, a garota explica porque eles devem ir para lá. Ela ganha um presente, uma arma na verdade: a adaga Katoptris. Sente o peso da traição cair-lhe sobre as costas, afinal aquelas pessoas são tão legais com ela, mas precisa salvar seu pai...

Clique aqui para ver O Sangue do Olimpo.

Leo - Tem convicção que Jason está brincando ao dizer que não lembra deles e nem de si próprio. Mas as coisas começam a ficar muito esquisitas, primeiro porque são atacados do nada e segundo... Ele está tendo alucinações ou a moeda do amigo se transformou em uma espada? E quem é aquela garota que insiste em levá-los a um tal acampamento? Ok! Ele não sabe muito bem o que quer dizer "semi", mas com certeza não está se sentindo muito "deus"... No acampamento, fica muito a vontade, ainda mais com todas aquelas ferramentas! Ele é fera em consertar coisas! Aquele lugar lembra a oficina da mãe, morta em um acidente há alguns anos. Ele sente-se culpado pela tragédia, afinal ele é uma aberração... pois se não tivesse habilidade com fogo talvez aquele acidente nunca tivesse acontecido e sua mãe ainda estivesse viva...

Clique aqui para ver Os Diários do Semideus.

Minha Percepção - Essa saga é ainda melhor do que a primeira. O autor deixa de lado aquele ar infantil dos personagens, até porque eles também crescem, e insere mais romance no enredo. Vi algumas criticas a Rick Riordan dizendo que ele deixou Percy Jackson de lado dando ênfase a outros heróis. Sinceramente, achei ambas as sagas perfeitas, afinal o acampamento é um refugio para todos os meios-sangues, não só para Percy. Na minha visão o autor não tirou o personagem dos holofotes, e sim adicionou outros também interessantes para que trabalhassem em equipe, afinal são sete meios-sangues. Se Percy tivesse mesmo perdido importância não teria estreado a série com todos  os campistas empenhados para encontrá-lo. E o fato de estar desaparecido fazia-me pensar nele o tempo todo, onde poderia estar?  Quem o levara e porque? Na verdade, ele fora levado justamente por sua relevância, por ser um líder. O autor mencionou-o em todos os momentos do livro e jamais o diminuiu.