quarta-feira, 13 de julho de 2016

{RESENHA} Harry Potter e a Ordem da Fênix - J. K. Rowling

Clique aqui para ver Harry Potter e a Pedra Filosofal.

Embora o Lorde das Trevas tenha retornado, Harry não ouve falar dele ou de suas atividades. O garoto está estranhando o silêncio dos amigos sobre o assunto e sentindo-se irritado com as cartas evasivas do padrinho e, consequentemente, injustiçado por não o informarem sobre os planos de Voldemort. Afinal, fora ele quem esteve cara a cara com o bruxo! Ele testemunhara o assassinato de Cedrico Diggory! Em meio a todos esses pensamentos e duvidas o menino sofre um ataque de dementadores, precisando recorrer a magia para se defender...

Clique aqui para ver Harry Potter e a Câmara Secreta.

Porém, bruxos menores de idade não podem fazer mágicas fora dos domínios de Hogwarts. Como esta não foi a primeira vez que o Ministério da Magia detecta uso indevido de feitiços no bairro de Harry, o menino é intimado a comparecer em uma audiência que decidirá se ele permanece ou é expulso da escola. Mais mistérios e perguntas sem respostas assolam a mente do garoto quando um grupo de bruxos invade sua casa e o levam para a sede da Ordem da Fênix, uma sociedade secreta fundada por Dumbledore com o objetivo de reunir membros que lutam contra Voldemort.

Clique aqui para ver Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban.

Foto: Lu Garcia

Clique aqui para ver Harry Potter e o Cálice de Fogo.

Harry não é o único com problemas, o diretor de Hogwarts também se vê caluniado e desacreditado tanto pelo Ministro da Magia, Cornélio Fudge, quanto pelo jornal da comunidade mágica, o Profeta Diário. Ambos se recusam a acreditar que Você-Sabe-Quem está de volta... Como se tudo isso já não fosse carga mais do que suficiente, uma nova professora de Defesa Contra as Artes das Trevas, Dolores Umbridge, chega metendo o terror na escola, isso porque é uma funcionária do Ministério e exerce também a função de Alta Inquisidora. Déspota é pouco para defini-la: aplica castigos físicos, proíbe alguns alunos de jogar quadribol, demite professores da confiança de Dumbledore, privilegia os que são "dedo-duro", entre outros. Mas sempre com um sorriso amável e meigo no rosto... (e nem mencionei que este ano a turma de Harry precisa estudar pra valer pois deve prestar o N.O.M - Níveis Ordinários em Magia).

Clique aqui para ver Harry Potter e o Enigma do Príncipe.

Minha Percepção - Embora a narração se mostre tensa em boa parte dos capítulos não consegui reprimir o riso ao ler alguns dos diálogos (principalmente aqueles em que Harry é debochado e irônico - o problema é que pagou tantas detenções que perdi a conta). Neste volume, o menino está estressado além dos limites, descontando suas frustrações em quem não merece e gritando pra caramba. Claro que entendo os motivos para tal atitude enérgica, pois são tantos acontecimentos estressantes que testam a paciência do guri... eu teria explodido muito antes rsrsrs.

Clique aqui para ver Harry Potter e as Relíquias da Morte.

Gente o que é aquela Dolores Umbridge?? Que mulher desgraçada! A vontade é socar a cara dela todinha, ainda mais quando imaginamos os sorrisos falsos e calmos. E devo dizer que ela não teve o que mereceu, deveria ter sido muito pior... eu somaria a demissão do Ministério (coisa que não ocorreu! A megera continua lá!). Adorei o lado mais leve da McGonagall, principalmente contra a Umbridge e devo acrescentar que o livro não tem um final tão feliz assim: um dos membros da Ordem é assassinado...