Páginas

sábado, 29 de outubro de 2016

{RESENHA} Histórias de Sherlock Holmes - Arthur Conan Doyle

Mais uma vez subestimei Conan Doyle ao não esperar mais do que relatos compilados pelo leal amigo e companheiro de Sherlock Holmes. Logo no inicio o autor nos presenteia com um prefácio, assinado por ele mesmo, contando um pouquinho de sua história com a dupla, sobre as vantagens e desvantagens de ter dispensado suas energias quase que exclusivamente a ela e declarando que sua criação também deve seguir o rumo natural da vida - seja ela real ou inventada, todos deixaremos de existir. Pede que os leitores se despeçam do investigador e agradece pela fidelidade do público, desejando que outros possam ocupar o lugar agora vago...

Foto: Lu Garcia

Títulos do romance:

1. Prefácio;
2. A Aventura do Cliente Ilustre;
3. A Aventura do Soldado Descorado;
4. A Aventura da Pedra Mazarin;
5. A Aventura das Três Cumeeiras;
6. A Aventura do Vampiro de Sussex;
7. As Aventuras dos Três Garridebs;
8. O problema da Ponte Thor;
9. A Aventura do Homem que andava de Quatro;
10. A Aventura da Juba do Leão;
11. A Aventura da Hóspede Velada;
12. A Aventura de Shoscombe Old Place;
13. A Aventura do Negro Aposentado.

E não pense que esta é a unica novidade, aqui também há contos narrados por Sherlock Holmes! Os quais datam da época em que Watson casou-se e não participava com frequência de seus casos. O detetive enfatiza a importância de ter o amigo como ajudante e cronista de seus feitos, embora julgue que o médico exagere em seus finais... Além disso, demostra um certo ressentimento e ciúme com relação a Mary (como mostram os filmes haha), acredita que o companheiro tenha sido egoísta ao abandoná-lo...

Minha Percepção - Ao ler o último conto do último livro publicado por Arthur Conan Doyle, cheguei a conclusão de que o autor preferia criar textos curtos a romances longos - mesmo que os primeiros exigissem mais inventividade. O que me faz acreditar nisso são os números: dos 60 casos registrados por Watson, apenas 4 são novelas complexas e cheias de detalhes, sendo que nelas também é possível perceber a qualidade da escrita e retórica perfeita. E sobre o desejo do escritor: só posso dizer que, quase 90 anos depois de sua última publicação, ainda não surgiu a dupla que irá desbancar Holmes e Watson...