sábado, 2 de julho de 2016

{RESENHA} Harry Potter e a Pedra Filosofal - J. K. Rowling

Certa manhã na rua dos Alfeneiros, nº 4, onde moram os Dursley, o dia se iniciava corriqueiro como de costume, sem sequer sinalizar que situações atípicas viriam a ocorrer dali a pouco, como grupos de pessoas eufóricas vestindo longas capas e chapéus pontudos, infestações de corujas, gatos que pareciam pensar e observar os acontecimentos à sua volta... Ah sim, quem são os Dursley?! Uma família que reúne toda a sorte de defeitos que um ser humano possa ter, entre eles, consideram-se superiores aos demais, são mesquinhos e criam o filho, Duda, como um rei mimado. Os eventos que se seguiram neste dia fatídico teria seu ápice ao anoitecer, tornando realidade o pior pesadelo da família "perfeita": a chegada permanente do pequeno órfão Harry Potter em suas vidas.

Clique aqui para ver Harry Potter e a Câmara Secreta.

Foto: Lu Garcia
Harry fora deixado na porta da casa dos tios quando ainda era um bebê, por estes serem seus únicos parentes. A verdade é que eles sempre negaram e detestaram os Potter por considerarem que eram gente imprestável e que compactuava com esquisitices. Junto com o sobrinho havia uma carta de Alvo Dumbledore explicando o por quê de sua chegada. Mal sabia o menino que viveria 11 anos em um inferno, sendo mal tratado, humilhado, usando os restos do primo, sem comemorar aniversários, entre outros. Seu destino começa a mudar quando chega um envelope endereçado a ele. No entanto, sua alegria dura pouco, pois os tios o impedem de ler o conteúdo. Atitude em vão, já que a cada dia chegavam mais e mais cartas todas iguais e para Harry.

Clique aqui para ver Harry Potter e o Cálice de Fogo.

Sem sucesso na entrega, Hagrid  leva a correspondência pessoalmente para o menino, revelando-o que ele é um bruxo, assim como seus pais que foram mortos por outro chamado Voldemort; que ele sobreviveu misteriosamente adquirindo a cicatriz na testa em forma de um raio; que há uma vaga esperando por ele na Escola de Magia e Bruxaria Hogwarts. Em princípio, o garoto acredita que os Dursley estão lhe pregando uma peça, mas reconsidera ao lembrar de casos estranhos que lhe ocorreram e para os quais não via explicação.

Clique aqui para ver Harry Potter e a Ordem da Fênix.

Então ele vai para a escola e lá aprende sobre poções, encantamentos e a jogar quadribol - esporte aéreo popular entre os bruxos cujo utiliza quatro bolas e catorze jogadores montados em vassouras. Descobre o valor das amizades sinceras, mete-se em muitas confusões e aventuras que o ensinarão a enfrentar a vida, incluindo a aproximação perigosa e iminente de Voldemort...

Clique aqui para ver Harry Potter e o Enigma do Príncipe.

Minha Percepção - A autora começa a narração detalhando minuciosamente como é a família Dursley, assim o leitor consegue imaginar o tormento que será a vida do pobre Harry, além de detestá-los logo de entrada (a menos que você se identifique com a descrição). Eles são um dos piores tipos de pessoas que existem: mentirosos, gananciosos, invejosos, preconceituosos, sem um pingo de generosidade e humildade. Quando você ler, descobrirá que há uma "tia Petúnia" na sua família (desconfio que todos temos, aliás).

Clique aqui para ver Harry Potter e as Relíquias da Morte.

Este primeiro título é o menor volume dentre os sete. Aqui é apresentado ao legente a história de Harry, como fora parar junto aos trouxas (modo como os bruxos se referem a gente comum) e como seus pais morreram. São introduzidas as regras e tradições do mundo da magia e são conhecidas as quatro casas que dividem Hogwarts: Sonserina, Grifinória, Lufa-Lufa e Corvinal.

Já havia assistido todos os filmes antes de finalmente ler a história original e só posso confirmar o que todos sabem, é um sucesso por ser muito bem escrita e estruturada. Além da criatividade de J. K. Rowling, pode-se perceber a excelente retórica presente durante a exposição do livro. Portanto, seria insano de minha parte se não o recomendasse!